Crateús
  • Acesse sua Conta

Mercado reduz pela 8ª vez previsão de inflação de 2018, para 3,57%

Os economistas do mercado financeiro reduziram pela oitava semana consecutiva a previsão para a inflação de 2018. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o IPCA este ano caiu de 3,63% para 3,57%. Há um mês, estava em 3,73%. Já a projeção para o índice em 2019 caiu de 4,20% para 4,10%. Quatro semanas atrás, estava em 4,25%.

Com as quedas seguidas, a projeção dos economistas para a inflação em 2018 caminha em direção ao piso da meta deste ano, cujo centro está em 4,5% e há margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (índice de 3,0% a 6,0%). Para 2019, a meta é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto (de 2,75% a 5,75%).

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2018 no Focus seguiu a mesma tendência e os números caíram. A expectativa para 2018 recuou de 3,67% para 3,41%. Para 2019, a estimativa do Top 5 caiu de 4,00% para 3,70%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,73% e 4,25%, respectivamente.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi na mesma tendência de queda ao passar de 3,98% para 3,94% de uma semana para outra – há um mês, estava em 4,01%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para março de 2018 caiu pela sétima semana seguida e passou de 0,21% para 0,15%. Um mês antes, estava em 0,26%. No caso de abril, a projeção recuou de 0,36% para 0,35% ante 0,36% de quatro semanas antes.

PIB

O mercado financeiro elevou ligeiramente suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2018. A expectativa de alta para o PIB este ano subiu de 2,83% para 2,89%. Com essa alta, a expectativa de crescimento da economia retornou ao patamar visto há quatro semanas. Para 2019, o mercado manteve a previsão de alta do PIB de 3% pela oitava semana consecutiva.

No relatório, a projeção para a produção industrial de 2018 caiu levemente, de 3,98% para alta de 3,97%. Há um mês, estava em 3,76%. No caso de 2019, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 3,50% ante 3,35% de quatro semanas antes.

A pesquisa mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2018 seguiu em 55%. Há um mês, estava em 55,10%. Para 2019, a expectativa recuou levemente, de 57,60% para 57,20% ante 57,70% de um mês atrás.

SELIC

Apesar da clara indicação do Banco Central de que o juro básico da economia pode cair novamente na reunião de maio do Comitê de Política Monetária (Copom), a pesquisa Focus realizada semanalmente com analistas do mercado financeiro não trouxe mudança na expectativa para o patamar do juro no fim do ano, que continuou em 6,50% – patamar anunciado na semana passada.

Nem mesmo a previsão de Selic média em 2018 foi alterada e permaneceu em 6,53% ao ano, ante 6,75% de quatro pesquisas antes. A única mudança ocorreu no grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 de médio prazo. Para o grupo, a previsão para a taxa básica no fim do ano caiu de 6,50% para 6,25%.

Entre todos os analistas consultados, a previsão para a taxa Selic no fim de 2019 seguiu em 8% pela décima semana seguida. Já a expectativa de juro médio no próximo ano entre todos os consultados caiu de 7,68% para 7,50%, ante 7,83% de quatro semanas atrás. Entre os analistas do Top 5, a previsão de juro no fim do ano também seguiu em 8,00%.