Crateús
  • Acesse sua Conta
  • Cartões
  • Cobrança

Resenha Econômica

Sexta-feira, 8 de junho de 2018

Queda predomina entre as principais praças internacionais nesta sexta-feira. Na Ásia, as bolsas de valores aproveitaram as altas recentes para realizar lucros, fechando em baixa enquanto esperam por importantes eventos a ocorrer ao longo da semana que vem. Sobre as commodities, o cobre encerrou o dia sem direção definida, caindo com os investidores realizando lucros em Londres, mas subindo em Nova York em meio a preocupações com a oferta da commodity. Já o petróleo encerrou em território negativo, com os investidores precificando o encontro que irá ocorrer entre Rússia e Arábia Saudita, países que cogitam um aumento na produção do óleo. Na Europa, os mercados fecharam em queda, preocupados com os resultados da reunião do G-7, assim como com o possível rebaixamento da nota soberana da Itália pela Moody’s , uma das maiores agências de rating de risco do mundo.

Nos Estados Unidos, os índices das bolsas de Nova York fecharam a sexta-feira com leve alta, refletindo a crença dos investidores de que os dirigentes dos principais países do mundo conseguirão se entender na reunião do G-7 de modo a diminuir as tensões comerciais globais. Ademais, a cautela dos investidores em relação à reunião do Fed (Banco Central americano) na semana que vem, da qual esperam a decisão pela elevação de juros no país, e à divulgação do índice de inflação, foram uns dos fatores que levaram as taxas dos rendimentos dos títulos da dívida pública de curto prazo a cair e as de longo prazo a subirem. Quanto ao dólar, a divisa americana se valorizava frente as demais moedas.

No Brasil, o Ibovespa terminou a sexta-feira com queda de 1,23%, com o mercado ainda preocupado com os impactos da greve dos caminhoneiros sobre a atividade econômica, assim como com as pesquisas eleitorais mais recentes. O movimento de queda se deu apesar da forte valorização do real frente ao dólar, depois de uma forte intervenção do Banco Central no mercado de câmbio, levando a divisa americana a fechar cotada em R$ 3,71/US$. Possíveis novos impactos na taxa de câmbio podem advir da pesquisa de intenção de votos do Datafolha e da reunião do Fed, eventos que irão ocorrer na semana que vem. No mercado de juros, o dia foi de alta volatilidade, com as taxas fechando em queda depois do anúncio pelo Tesouro Nacional de que estenderá o período de leilões extraordinários de títulos públicos.