Vale do São Francisco
  • Acesse sua Conta
  • Cartões
  • Cobrança

Resenha Econômica

Sexta-feira, 01 de junho de 2018

Resultados positivos predominam nesta sexta-feira. Na Ásia, as bolsas de valores fecharam sem direção única  nesta sexta-feira, depois que os Estados Unidos decidiram aplicar tarifas sobre a importação de aço e alumínio de México, Canadá e da União Europeia, trazendo de volta a tensões comerciais. Entre as commodities, o cobre encerrou o dia em alta, impulsionado pela divulgação de dados positivos de atividade econômica de grandes compradores do metal e por negociações trabalhistas que poderiam afetar a oferta da commodity. Quanto ao petróleo, este fechou cotado ao menor nível desde abril de 2010, com os investidores preocupados com o aumento da produção da commodity nos Estados Unidos, corroborados por dados da Baker Hughes. Na Europa, os mercados responderam de maneira positiva a sinais de menor tensão política na Espanha e na Itália.

Nos Estados Unidos, os dados fortes de emprego deram sustentação a alta dos índices das bolsas de Nova York nesta sexta-feira. Os dados mostraram uma redução na taxa de desemprego, um aumento no salário médio dos trabalhadores e mais. Com isso, as taxas de juros dos títulos da dívida pública americana subiram, assim como o dólar frente demais moedas fortes.

No Brasil, o Ibovespa conseguiu fechar em alta (0,63%), apesar da declaração de Pedro Parente, até então presidente da Petrobras, de que iria deixar o cargo na estatal. A decisão de Parente preocupou o mercado, o qual via em sua saída a possibilidade de assumir um presidente mais ligado à política, o que poderia vir a favorecer uma maior intervenção do governo na política de preços da empresa. No entanto, a alta das bolsas no exterior, assim como a valorização das ações da Vale, das siderúrgicas e dos bancos garantiram um pregão positivo para a bolsa brasileira. Já para o câmbio, a decisão de Parente teve grande peso sobre a moeda brasileira, com os investidores vendo a decisão com um sinal de risco, fazendo com que o dólar encerrasse cotado a R$ 3,76/US$. Quanto as taxas de juros, as taxas de prazo curto e intermediário fecharam o dia em queda, enquanto as de longo prazo fecharam perto dos ajustes, mas com viés de alta.